Como funciona o seguro de carro brasileiro no Mercosul

Existem poucas atividades na vida mais revigorantes do que uma roadtrip. É uma sensação libertadora atravessar até mesmo um continente inteiro em busca de satisfação e realização pessoal.

No entanto, não se deixe levar exclusivamente pelo aspecto romântico — aquele de deslizar por estradas desconhecidas com seu carro e sua música. Saiba que, para evitar dores de cabeça, é necessário fazer um planejamento.

Você sabe, por exemplo, qual a importância de ter um seguro de carro no Mercosul? Então acomode-se e aprenda agora sobre esse ponto fundamental na sua próxima viagem pela América do Sul! Boa leitura!

Todos os seguros de carro brasileiros valem no Mercosul?

Não. Geralmente, as seguradoras oferecem opções e pacotes personalizados para cada cliente e suas respectivas necessidades. Por isso, varia de acordo com a apólice contratada. Existem apólices que estendem a cobertura aos países sul-americanos, mas muitas não o fazem.

Como aderir a um seguro que cubra essa necessidade?

Você tem três alternativas. Entenda-as a seguir!

Expansão de cobertura na seguradora atual

É possível discutir com a sua seguradora a possibilidade de expandir a cobertura do seguro para os países pelos quais vai passar. Evidentemente, isso significa um aumento no preço da apólice e, a depender da empresa, algumas taxas administrativas.

Rescisão com a seguradora atual e contratação de um novo seguro

Aqui você deve arcar com os custos rescisórios e os de aquisição de uma nova apólice que seja adequada às suas necessidades nacionais e internacionais. É a opção mais cara e trabalhosa.

Seguro Carta Verde

O Carta Verde é uma solução desenvolvida — hoje obrigatória — para o tráfego seguro dos turistas que viajam pelas fronteiras da América do Sul. Inicialmente, era uma resolução válida apenas entre Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Dado o teor amigável nas relações diplomáticas entre os países do Mercosul, hoje todas as nações sul-americanas são adeptas da solução.

O Carta Verde serve como uma apólice brasileira tradicional, mas com a cobertura estendida aos países inclusos. O grande trunfo da solução está no tempo de vigência. Um, dois, três meses, tanto faz. Você contrata especificamente de acordo com a necessidade e sem precisar rescindir sua apólice nacional.

Você pode fazê-lo de maneira fácil em uma corretora de seguros automotivos, em consulados ou até mesmo na sua agência bancária. Existe ainda a possibilidade de contratá-lo na fronteira com o país de destino, mas a eficiência e a agilidade do processo não são garantidas. Minha dica é sempre procurar o seu corretor de seguros, é ele que possui o conhecimento necessário para analisar o risco corretamente e buscar o produto adequado às suas necessidades, sempre considerando o melhor custo x benefício.

É importante ressaltar que as coberturas indenizatórias — valores médicos, prêmios, danos materiais, honorários advocatícios e outros — perdem a validade se forem constatadas irregularidades, como embriaguez ou entorpecimento do condutor, falta de habilitação do condutor ou envolvimento do veículo em práticas ilícitas (como os rachas).

E lembre-se de que, apesar de o Carta Verde ser a resolução obrigatória e barata — a partir de R$48 — para o deslocamento territorial, contrate também um seguro pessoal de viagem internacional. Mesmo não sendo obrigatório em grande parte dos países da América do Sul, ele pode vir a ser útil em uma situação em que você tenha a sua saúde fragilizada.

O que você achou deste post de seguro de carro no Mercosul e da solução Carta Verde? Então, compartilhe-o nas suas redes sociais e ajude mais pessoas a terem uma viagem segura e livre de estresse!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This