Placa mercosul: entenda como funciona e onde é obrigatória!

A padronização é um dos métodos mais eficientes na organização de um sistema. O mesmo acontece com o banco de dados dos veículos em circulação. Por isso, dedicamos este post para esclarecer a tão polêmica Placa Mercosul.

Afinal de contas, você sabe do que se trata essa novidade? Pelo sim ou pelo não, fique tranquilo, pois reunimos, neste artigo, as principais dúvidas sobre o tema, esclarecendo propósito, obrigatoriedade, mudanças e vantagens da nova solução. Confira!

O que é a Placa Mercosul?

Trata-se de um padrão de emplacamentos exclusivo aos países que constituem o bloco Mercosul, espelhado na experiência dos países da União Europeia — que também contam com um sistema padronizado.

O propósito dessa solução está em unificar o banco de dados de toda a malha veicular nos participantes do bloco — Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela. Com isso, os países constituintes ganham em três pontos fundamentais:

  • economia, já que o novo sistema garante corte de custos;
  • segurança, aumentando a capacidade de monitoramento;
  • eficiência, agilizando as operações judiciais e policiais, em função da unificação do banco de dados dos cinco países em apenas um.

Quando e para quem ela será obrigatória?

Aqui no Brasil, a implementação da Placa Mercosul percorreu um caminho tortuoso, com uma sobreposição contínua de datas e decisões. Mas, felizmente, isso acabou!

Agora, todos os brasileiros podem confiar em um posicionamento definitivo sobre o tema:

  • a utilização do padrão Mercosul só é obrigatória para o emplacamento de veículos novos ou transferidos;
  • para as demais situações, a troca continua sendo voluntária;
  • o novo padrão se tornará obrigatório para todos em 2023.

O que muda em relação à anterior?

Vamos ao ponto mais imediato aos nossos olhos: as mudanças estéticas! Tratando-se de dimensão, vale observar que ela continua igual, apresentando os mesmos 40 cm de largura.

Cores de identificação

Essa é uma mudança que merece atenção, pois destoa do padrão utilizado nas antigas. O fundo das placas novas sempre será branco, em todas as aplicações.

Assim, o que diferenciará o tipo de veículo serão as cores presentes na moldura e fonte do código alfanumérico, sendo:

  • cinza para veículos antigos ou colecionáveis;
  • amarelo para diplomáticos;
  • vermelho para comerciais;
  • preto para particulares;
  • verde para especiais;
  • azul para oficiais.

Códigos alfanuméricos

No Brasil, as novas placas contam com códigos estruturados de maneira diferente entre os tipos de veículo. Entenda a composição:

  • automóveis: 3 letras, 1 letra e 1 número, 2 números — como ABC D1 23;
  • motocicletas: 3 letras, 2 números, 1 letra e 1 número — como ABC 12 D3.

Localização de origem

As novas placas contam com uma faixa de identificação azul na parte superior da chapa, identificando a cidade e o Estado de origem do veículo em questão. 

Quais são as inovações técnicas dessa solução?

Existem três inovações técnicas nas novas placas, e são tão eficientes a ponto de dispensarem o lacre!

A primeira inovação é a marca d’água, uma velha conhecida nossa, sempre presente nas cédulas da moeda brasileira. Além disso, existirá um QR Code na própria placa, facilitando a autenticação por meio de qualquer dispositivo equipado com uma câmera, como um smartphone.

A terceira e mais sofisticada é representada por um microchip interno, que funciona como àqueles utilizados por serviços de pedágio sem paradas. A diferença estará em sua utilização policial, que identificará rapidamente quando um veículo roubado ou irregular atravessar um ponto de fiscalização, como as sedes da Polícia Rodoviária Federal, fronteiras e afins. 

É bastante comum que a população resista ao aderir a uma nova burocracia, mas é importante perceber que a Placa Mercosul não cria dificuldades extras. Afinal, o custo continua sendo o mesmo, com o diferencial de participar de um sistema novo, mais seguro, eficiente e promissor.

Agora que você conhece mais sobre a Placa Mercosul, não perca a chance de repassar essas informações para os seus amigos e colegas, compartilhando este conteúdo em suas redes sociais!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This