Carros

Saiba como legalizar um carro com suspensão rebaixada

Escrito por Fabricio Valente

O carro com suspensão rebaixada tem um visual mais agressivo e estiloso e vem conquistando muitos brasileiros ao longo dos anos! Ao contrário do que muita gente pensa, é possível legalizar seu carro rebaixado e desfilar com ele por aí sem problemas!

Porém, é necessário ficar atento a algumas normas e leis antes de modificar o seu veículo. Seguindo todas as regras, você pode rodar tranquilo e com a documentação correta. Esclareceremos também algumas dúvidas sobre seguro para carros rebaixados.

Acompanhe este post até o final e confira todas as dicas que separamos para você!

Amortecedores especiais

Para começar a processar a ideia de rebaixar a suspensão do seu carro, tenha em mente que as famosas “gambiarras” são proibidas. Cortar as molas, usar encolhedores ou “esquentar as molas” não é nada aconselhável.

Você não conseguirá a regularização de seu veículo caso alguns desses procedimentos listados tenham sido adotados para realizar o rebaixamento.

Não se trata apenas de conseguir regularizar ou não o carro. Buscar por peças e serviços de qualidade está ligado ao cuidado com seu patrimônio. Carros rebaixados de forma indevida podem até fundir o motor em casos de colisões entre o solo e o cofre do motor, o que significa um prejuízo e tanto para o seu bolso.

Além disso, é necessário entender a importância da suspensão. Estamos falando de um componente fundamental para o bom funcionamento de seu veículo. Um bom sistema de suspensão vai conferir dirigibilidade e um amortecimento necessário para absorver impactos. Pense, por exemplo, nas milhares de ruas esburacadas que temos pelas cidades brasileiras.

Processo legal

Agora que você já conhece a importância da regularização de seu veículo e escolheu o sistema de amortecimento correto para fazer a modificação, é hora de ficar atento às normas a serem seguidas e conseguir o “verdinho” sem dor de cabeça. O processo é longo e conta com vários detalhes.

A suspensão rebaixada pode ser fixa ou regulável (rosca ou pneumática) e é preciso que tenha o certificado do Inmetro. É importante também que a marca das peças seja a mesma das originais de fábrica.

Não se trata de uma regra, mas isso previne que o carro se comporte de maneira indesejada em termos de estabilidade, uma vez que todos os testes de controle de qualidade pelos quais o veículo tenha passado foram realizados com os componentes de fábrica.

Atenção também à qualidade do serviço realizado no rebaixamento. No momento da inspeção, qualquer irregularidade será percebida sem dificuldades. Por isso, não tente economizar comprando uma peça fora dos padrões recomendados ou aposte em alguma “gambiarra” para executar o serviço.

Jogar o carro no chão, como muitas pessoas fazem, também não é permitido. A altura mínima, medida a partir da frente do carro, deve ser de 10 cm do chão. E 10 cm, convenhamos, já é uma distância que te colocará em dificuldades para circular por alguns tipos de piso. Além disso, carros com peso superior a 3,5 toneladas não podem ser rebaixados.

Passo a passo para legalizar um carro com suspensão rebaixada

1. Procurar o Detran

O primeiro passo é ir ao Detran e informar que você fará modificações no seu carro. Será feita uma vistoria normal com o carro ainda original, em que todos os itens são avaliados: luzes, cintos, número do chassi, motor, etc. Portanto, preocupe-se em verificar se está tudo ok com o seu veículo para não ser reprovado antes mesmo de fazer o rebaixamento.

2. Instalar a suspensão

Depois da vistoria e com a autorização em mãos, você pode instalar a nova suspensão. Lembre-se de fazer esse serviço com um profissional qualificado que possa emitir notas fiscais. Elas serão necessárias em outro passo da legalização.

Na ocasião de você mesmo executar o serviço, a lei prevê algumas implicações mais sérias. Em casos assim, o proprietário do veículo terá de assinar uma declaração na qual ele fica responsável civil e criminalmente por qualquer problema decorrente no sistema de suspensão que coloque em risco o veículo e seus ocupantes.

3. Fazer uma nova vistoria

Depois de instalada a suspensão rebaixada, o carro terá de passar por uma bateria de testes, que é feita por uma empresa credenciada pelo Inmetro e pelo Denatran. Alinhamento, resistência das molas, teste de esterçamento (pneu e roda não podem tocar em nenhuma parte do para-lamas ou parte interna da caixa de rodas) serão feitos nessa vistoria.

Se o carro for reprovado, você terá um mês para realizar os ajustes e refazer a inspeção e os testes. No prazo de 30 dias, você tem direito a 3 tentativas. Caso o veículo seja aprovado, um laudo será emitido alegando estar apto para andar. Esse documento é conhecido como CSV (Certificado de Segurança Veicular).

4. Pagar a taxa de emissão dos certificados

Com todos os documentos e o CSV em mãos, é hora de retornar ao DETRAN. Lá será emitido um boleto para que você pague o Certificado de Registro do Veículo e o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo. Depois disso, seu novo documento com a observação de modificação será emitido.

Fizemos aqui um checklist das taxas e os valores que você deverá desembolsar até a essa altura do processo. Os valores apresentarão pouca variação entre os Detrans pelo país. Aqui está reunido apenas o que deve ser pago no Detran. Custos adicionais, como os da inspeção, serão apresentados no tópico seguinte.

  • Certificado de Registro de Veículo (CRV) – R$ 193
  • Autorização prévia – R$ 17,33
  • Certificado de Segurança Veicular (CSV) – R$ 39,66

Custos

O custo dos testes na empresa certificada pelo Inmetro fica em torno de R$ 200. Lembrando que o valor é cobrado para cada modificação que fizer no carro. No caso, se você optar apenas por modificar a suspensão, paga uma taxa para a empresa que realiza os testes. Há, ainda, o custo das taxas já cobradas pelos órgãos responsáveis pela vistoria. O custo total fica em torno de R$ 500.

Como dissemos, o processo para legalização é longo, porém fácil de ser seguido quando se tem todas as informações. É preciso ter em mente que o gasto será maior para a legalização da suspensão rebaixada, porém poder dirigir tranquilo por aí vale a pena, não é mesmo?

Seguro

Por falar em cuidado com o seu veículo rebaixado, muitos motoristas têm dúvidas quanto às possibilidades de realizar um seguro. Quanto a isso, é importante esclarecer que, ao longo dos últimos anos, o mercado de seguro veicular vem aderindo a esse tipo de cobertura.

Entre outras coisas, o valor do seguro apresentará variações de acordo com o número de modificações que você tenha feito em seu carro. Ou seja, quanto maior o número de modificações, mais salgado será o preço. Quem curte o ‘universo tunning’ e adora personalizar o carro deve ficar ligado nessas condições.

Além disso, carros cujas modificações, como o rebaixamento, não estejam autorizadas pelas autoridades de trânsito, dificilmente serão segurados. Parece óbvio dizer isso, mas é fundamental insistir nesse ponto para reafirmar a importância da regularização.

Como eu disse anteriormente, hoje em dia já existem seguradoras que aceitam carros modificados, tunados e com suspensão rebaixada. Então, se você possui um carro com essas características, depois de tantos investimentos, você não vai querer correr o risco de perder seu patrimônio, né?  Então consulte-nos para fazer um cotação de seguro para seu carro. [Faça uma Cotação Online Aqui]

Quer saber mais ou fazer uma cotação de seguro para seu carro?

Entre em contato com a gente, será um prazer poder te ajudar. Central de atendimento: (11) 4992-2632, nosso WhatsApp: (11) 9.7153-5664 ou [Faça uma Cotação Online Aqui]

Gostou do conteúdo? Siga nossas redes sociais e fique por dentro de mais assuntos como este!

Sobre o autor

Fabricio Valente

Publicitário, Empreendedor, Corretor de Seguros e Sócio Proprietário da Valente Seguros. Atua no mercado de seguros há mais de 20 anos prestando consultoria em seguros para pessoas físicas e jurídicas.

Deixar comentário.

Share This